• 455 Martinson, Los Angeles
  • 8 (043) 567 - 89 - 30
  • support@email.com

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Antioxidante



Se você gosta de cinema, já deve ter se acostumado com as listas dos filmes mais assistidos do ano que inundam revistas e jornais, principalmente na época do Oscar. Pois bem, se houvesse lista semelhante para os nutrientes mais falados da última década, dificilmente os antioxidantes teriam algum tipo de concorrência.

Um antioxidante é uma molécula capaz de inibir a oxidação de outras moléculas. A oxidação é uma reacção química que transfere electrões ou hidrogénio de uma substância para um agente oxidante. As reacções de oxidação podem produzir radicais livres. Por sua vez, estes radicais podem dar início a reacções em cadeia que, quando ocorrem em células, podem danificá-las ou causar a sua morte. Os antioxidantes interrompem estas reacções em cadeia eliminando os radicais livres intermediários e inibindo outras reacções de oxidação. Isto é conseguido através da sua própria oxidação, pelo que os antioxidantes são frequentemente agentes de redução, como os tióis, o ácido ascórbico ou polifenóis.

Derivados da p-fenilenodiamina são antioxidantes comuns para prevenir a formação de gomas na gasolina.

Embora as reacções de oxidação sejam fundamentais para a vida, podem também ser prejudiciais. As plantas e os animais sustentam sistemas complexos de vários tipos de antioxidantes, como glutationa, vitamina C e vitamina E, e ainda enzimas como a catalase, dismutase e várias peroxidases. Baixos níveis de antioxidantes, ou inibição das enzimas antioxidantes, causam stress oxidativo e podem danificar ou matar as células.

Como o stress oxidativo mostra ser um componente fundamental de muitas doenças humanas, o uso de antioxidantes na farmacologia é estudado de forma intensiva, sobretudo em tratamentos para os enfartes ou doenças neurodegenerativas. Contudo, ainda se desconhece se o stress oxidativo é uma causa ou consequência da própria doença.

Os antioxidantes são amplamente usados no fabrico de suplementos dietéticos e têm sido amplamente estudados no âmbito da investigação de doenças como o cancro, doenças coronárias e até mesmo no mal de montanha. Embora alguns estudos iniciais tenham sugerido que os suplementos de antioxidantes podiam ter benefícios na saúde, ensaios clínicos realizados mais tarde não detectaram qualquer benefício, tendo sugerido, pelo contrário, que suplementos em excesso podem ser nocivos.

Para além do seu uso no campo da medicina, estes compostos têm imensas aplicações industriais, como conservantes alimentares, cosmética, e na prevenção da degradação da borracha. São importantes aditivos na gasolina, prevenindo a formação de gomas que interferem com a actividade dos motores de combustão interna.


Antioxidantes 
são moléculas capazes de retardar ou impedir o dano oxidativo, processo causado por substâncias chamadasradicais livres, que podem levar à disfunção das células e o aparecimento de problemas como doenças cardíacas, diabetes ecâncer. O papel dos antioxidantes é bloquear as reações de oxidação e oferecer proteção às membranas e outras partes das células.
Alguns alimentos antioxidantes. Foto: © iStock.com / funix
Alguns alimentos antioxidantes. Foto: © iStock.com / funix


Os radicais livres são moléculas oxidantes altamente reativas que atacam outras moléculas através da captura de elétrons e, portanto, modificando as estruturas químicas. São produzidos como parte de nosso metabolismo natural, como também são introduzidos no organismo através de fontes externas como exposição ao sol ou a poluição. Outros meios incluem stress, ingestão de bebidas alcoólicas, alimentos insalubres e cigarro. Os antioxidantes atuam combatendo estes radicais livres e são essenciais para o funcionamento adequado do sistema imunológico.

Os Antioxidantes podem ser classificados em dois tipos:
Hidrofílicos: São antioxidantes solúveis em água
Hidrofóbicos: São antioxidantes solúveis emlipídios

Em geral, os antioxidantes solúveis em água reagem com oxidantes no citosol celular (líquido que preenche o citoplasma das células) e no plasma do sangue, enquanto os antioxidantes solúveis em lipídios protegem as membranas celulares da peroxidação lipídica. Os antioxidantes podem ser sintetizados no organismo ou obtidos a partir da dieta.

Algumas enzimas antioxidantes são produzidas dentro do corpo como o superóxido dismutase, a catalase e a glutationa. O superóxido dismutase catalisa a dismutação do superóxido em oxigênio e peróxido de hidrogênio. A catalase, por sua vez, decompõe o peróxido de hidrogênio em água e oxigênio. A glutationa é um agente de desintoxicação, que se liga com diferentes toxinas. Outros agentes antioxidantes são encontrados nos alimentos, como vegetais folhosos, frutas, legumes,hortaliças e cereais integrais.

Uma dieta rica em frutas, vegetais e grãos integrais fornecem uma grande quantidade e variedade de antioxidantes, contribuindo para aumentar a defesa imunológica e diminuir o risco de desenvolver doenças e infecções. Consumir frutas e vegetais crus, em vez de cozidos, fornece maior concentração e melhor absorção dos antioxidantes. Os suplementos dietéticos também estão disponíveis para aqueles que não consomem bastante os alimentos que contenham antioxidantes.

Os benefícios de consumir alimentos ricos em antioxidantes como o beta-caroteno, licopeno, selênio, vitamina A, vitamina C,vitamina E, entre outros, são enormes. Além de diminuir o risco de desenvolver certas enfermidades, estudos relatam que os antioxidantes também possuem efeito antienvelhecimento.

O antioxidante beta-caroteno é encontrado em muitos alimentos como a batata doce, cenoura, melão, abóbora, damasco,manga, couve, espinafre, entre outros. O licopeno é um potente antioxidante encontrado no tomate, melancia, goiaba, mamão, damasco, e outros alimentos. O selênio é um mineral com ação antioxidante encontrado principalmente no arroz e trigo. A vitamina A é encontrada em abundância no fígado, leite e gema de ovo. A vitamina C é encontrada em uma variedade de frutas, legumes, cereais, carne, aves e peixes. A vitamina E esta contida nas amêndoas, em muitos óleos de gérmen de trigo, manga, castanhas, brócolis e outros alimentos.
Referências Bibliográficas:

http://saude.hsw.uol.com.br/antioxidantes1.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Antioxidante
http://www.copacabanarunners.net/antioxidantes.html
AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte para o

Postagens mais visitadas

Popular Posts

Visite e

Navigation

Google+ Followers